• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Cartas Secretas Jamais Enviadas


     Você já desejou poder voltar no tempo e dar conselhos para si mesmo? Já quis ter coragem de falar como é forte o amor que sente por alguém? Alguma vez já se perguntou por que uma pessoa importante na sua vida parou de falar com você? A partir de contribuições anônimas, Emily Trunko reuniu nesta coletânea cartas que revelam segredos profundos de quem as escreveu. Afinal, muitas vezes o único jeito de lidar com nossos sentimentos mais intensos — seja um amor incondicional ou uma perda irreparável — é botando tudo no papel. A leitura destas cartas nos permite mergulhar na vida de seus remetentes e, ao mesmo tempo, redescobrir nossa própria história e perceber que, mesmo nos piores momentos, não estamos sozinhos. - SKOOB



    Quem nunca escreveu uma carta que nunca teve intenção de enviar?

    Emily Trunko começou um Tumblr em 2015, com o nome de “Dear My Blank”. A ideia era criar um espaço para que as pessoas - de forma anônima - pudessem enviar as cartas que elas escreveram, mas 
    nunca foram enviadas.



    A motivação para criar essa página veio em função de Emily gostar de escrever textos nesse formato, e com as contribuições de milhares de pessoas, a página se tornou uma comunidade de apoio para quem passava por situações similares.

    Em “Cartas Secretas Jamais Enviadas” ela reúne as cartas mais significativas, separadas por temas, como cartas para o mundo, para amores, para alguém da família…


    Quando comecei a leitura fiquei confusa a respeito de quem havia escrito as cartas, só depois que fui notar que a organização era da Emily, o que significa que havia textos de outros autores no livro. E como eles são assinados apenas com iniciais, fiquei me perguntando se havia textos da Emily ou apenas de outros autores. O que me levou a questionar também as razões de escolher publicar textos de autores anônimos ao invés das cartas da própria organizadora.

    A diagramação do livro está muito bonita, capa dura e uma variedade enorme de ilustrações incríveis.


    Porém, em se tratando de conteúdo, eu tive dificuldade para me conectar com grande parte dos textos. Imagino que essa dificuldade tenha a ver com o fato de que eu não passei por muitas das experiências que originaram as cartas.



    Contudo, isso não me impediu de ficar absorta na leitura, naquele nível de que se alguém gritasse no meu ouvido, eu demoraria para perceber.

    “Cartas secretas jamais enviadas” é um livro bastante introspectivo, que provavelmente vai te fazer lembrar de muitas coisas que você viveu ou está vivendo.




    Apesar de não ter sido um livro marcante pra mim, ele me deu várias inspirações. Eu gosto de escrever textos em formato de cartas, e durante muito tempo andei sem vontade/inspiração para escrever. Mas depois da leitura eu voltei a escrever e lembrei da capacidade de cura que esses pequenos desabafos tem.


    Classificação:




    Beijocas!