• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    Jurassic World: Reino Ameaçado


    Jurassic Park é uma daquelas franquias clássicas que praticamente todo mundo já viu na vida, ou ao menos ouviu falar sobre a trilogia. Confesso que desde pequena sou apaixonada pelos filmes de dinossauro, que de certa maneira inovaram no mercado cinematográfico da época. Porém, ao mesmo tempo, sei que, principalmente o último filme, foi feito com a única intenção de fazer mais dinheiro e a franquia acabou se tornando daquelas com filmes sem lógica, sem roteiro plausível, apenas uma repetição da fórmula utilizada nos filmes anteriores.

    Reino amaldiçoado não traz nada de tão original, mas houve uma melhora significativa com relação ao filme anterior, além de o filme ter um tom diferente do que foram os outros: o diretor puxou mais para o suspense do que para a aventura, originando um filme que ao mesmo tempo trás aquela sensação nostálgica dos primeiros filmes, com algo novo e instigante.


    A história segue após o final do anterior: quatro anos depois do parque Jurassic World ser destruído pelos dinossauros, a ilha Nublar está para ser destruída, extinguindo os dinossauros, após um vulcão voltar à ativa. Para salvar os animais, Owen e Claire partem em uma missão até a ilha para salvá-los, mas descobrem que foram apenas peões um plano muito maior e desumano para os dinossauros. 

    A primeira coisa a se destacar é o novo tom do filme. O realismo das cenas é simplesmente incrível, a fotografia é excelente, quase como se os dinossauros estivessem realmente ali. Além disso, gostei muito mais do tom sombrio que deram ao roteiro, combinou bem com os pontos que a trama trouxe e deixou o filme mais sério. O suspense das cenas prende o espectador à cadeira, nos deixando ansiosos e nos envolvendo na história.


    Outro ponto interessante é o roteiro: tirando a parte dos dinossauros, que é bem surreal, os pontos sobre ética, os dilemas morais abordados, os temas com relação ao abuso de poder/tecnologia do ser humano.. essa parte foi muito bem abordada. 

    O elenco também está muito bom; Chris Pratt continua maravilhoso (sou suspeita, porque amo o ator!), no papel do carismático e bem humorado Owen. Bryce Dallas melhorou muito no papel de Claire (que tinha sido bem mais ou menos no filme anterior), apesar de eu ainda não gostar muito dela (acho que tem mais a ver com a personagem do que com a interpretação). 

    Justice Smith, no papel de Franklin, foi o alívio cômico do longa, sendo responsável por todas as cenas engraçadas do filme com sua personalidade nerd desajeitada. E Daniella Pineda, como Zia, surpreendeu bastante, encarnando uma personagem feminina forte.


    O filme não é extraordinário, nem será o melhor do ano, mas vai satisfazer aos fãs da franquia, trazendo o sentimento de nostalgia ao vermos os dinossauros na tela e até ganhando novos fãs, com o novo tom sombrio do longa que tem cenas de suspense e ação suficiente pra prender o espectador.