• Home
  • /
  • Sobre o blog
  • /
  • Colunas
  • /
  • Parceiros
  • /
  • Anuncie
  • Resenhas Novas

    O Teste - Joelle Charbonneau

    Na escola, aprendemos que há noventa anos, Tosu City foi criada como o primeiro sinal tangível de que as pessoas haviam sobrevivido aos Sete Estágios da Guerra. Este lugar foi escolhido porque seu antecessor foi considerado um alvo militar não importante. Ainda que não pudesse escapar da degradação da terra por terremotos, tornados e inundações, muito da cidade permaneceu quando a terra se aquietou e aqueles que restaram vivos começaram a reconstruir.


    No dia de formatura de Valencia, ou Cia, como é chamada pela família, e dos jovens da Colônia Cinco Lagos, tudo o que ela consegue imaginar – e esperar – é ser escolhida para O Teste, um programa elaborado pela Comunidade das Nações Unificadas, que seleciona os melhores e mais brilhantes recém-formados no Ensino Médio para que sejam testados e concorram a uma vaga na Universidade e, quem sabe, se tornem futuros líderes na demorada reconstrução do mundo pós-guerra. Ela sabe que é um caminho árduo, mas existe pouca informação a respeito dessa seleção. Então, ela é finalmente escolhida e seu pai, que também havia participado da seleção, se mostra preocupado. Desconfiada de seu futuro, ela corajosamente segue para longe dos amigos e da família, incerta da existência do perigo e terror que a aguardam. 

    O Teste foi uma leitura surpreendente em vários sentidos. Primeiramente, quero evidenciar que a trilogia é uma obra distópica e que, apesar de tantas outras serem lançadas recentemente, ela não é, de maneira nenhuma, mais do mesmo. Ou seja, apesar da aparente semelhança com obras renomadas (Jogos Vorazes, Divergente, Maze Runner e etc.), a autora soube aproveitar as ferramentas e construir uma história incrivelmente dinâmica, única e totalmente independente. O Teste é dividido em quatro etapas e cada uma exige habilidades diferentes, o que significa que você pode ser eliminado em qualquer fase. Suas respostas devem ser precisas, caso contrário o preço que se paga pelo erro é alto, incluindo a própria vida.

    A primeira fase testa seus conhecimentos gerais, como se fosse um vestibular. A segunda fase testa suas habilidades em determinada área de conhecimento (física, química, biologia...), pois sempre tem aquela matéria em que nos saímos melhor. A terceira fase (e a pior delas) coloca os concorrentes em campo. Eles são levados para longe da capital e podem ver por si mesmos a devastação causada pelos sete estágios da guerra. É nesse cenário cheio de perigos que eles devem sobreviver e retornar em segurança até Tosu City, capital da Comunidade das Nações Unificadas. Radiação, mutações, predadores e os outros concorrentes... Tudo é uma ameaça e, para sobreviver, eles não devem confiar em ninguém. A última fase é uma simples entrevista, mas que pode ser vital para a conquista da vaga na universidade ou fazer do concorrente uma ameaça para o governo.

    Cia é uma protagonista inteligente, racional, calculista e forte. Todas as suas atitudes são pensadas e, mesmo quando ela age com o coração, consegue contornar o possível erro e resolver a situação. Seus conhecimentos científicos são a melhor parte do livro (AMO nerds, gente! Ainda mais se forem da minha área) e eles são descritos lindamente. Pontos para autora por ter pesquisado e se dedicado, pois a personagem dá conta do que se propõe a fazer. Ela não é a única de sua colônia, junto com ela, outros três adolescentes também são escolhidos: Tomas, Zandri e Malachi. Cada um é um geniozinho numa determinada área. Não vou falar de todos para não prolongar a resenha, mas vou falar de Tomas.

    O enredo é completamente envolvente e, mesmo que não tivesse qualquer pitada de romance, continuaria incrível. No entanto, a autora optou por pincelar um leve romance entre Tomas e Cia, que se conhecem desde a infância e acabam sendo escolhidos para competir no Teste. Não direi se ele é realmente verdadeiro, prefiro deixar que descubram sozinhos se realmente existe sentimento entre eles ou se é apenas uma estratégia que ambos usaram para tentar vencer a quarta fase do desafio. Que rufem os tambores! Hahahaha Tomas também é muito inteligente, mas permite que sua razão seja abalada facilmente. Sabem como é... Todo menino é metido a valente, né? É sim. Hahaha
    Passamos por um grande estádio e, momentos depois, o flutuador desacelera. Para na frente de um enorme prédio liso feito de aço e vidro negros. O solo ao redor dele é rico em verde e cheio de flores, mas de maneira nenhuma suaviza o exterior imponente e rígido. Uma pequena placa de bronze na frente da entrada diz " Centro de Testes".

    O pano de fundo, como disse anteriormente, é o mundo pós guerra. Cidades dizimadas por bombardeios e uma Terra severamente castigada. O que restou do governo se reuniu para tentar encontrar meios de recuperar o solo e água, além de tornar habitáveis lugares completamente destruídos. O que nos leva a divisão das colônias. Cada colônia foi fundada com um intuito e todos que vivem nessas áreas desenvolvem atividades específicas e são supervisionados por todos aqueles que também passaram pelo Teste e concluíram a universidade. Nesse caso, o pai de Cia se tornou um cientista que se dedica à recuperação do solo contaminado, de modo que a água que restou possa ser aproveitada e os alimentos cultivados alterados geneticamente para resistirem à escassez de nutrientes. Resumindo: Eles te oferecem uma oportunidade de formação profissional e, em troca, você usa esse conhecimento para ajudar o governo com a dura tarefa de recuperar o planeta.

    Ah, mas isso é incrível! É sim, de fato! Mas o perigo está no Teste. O mistério, o suspense e o perigo estão dentro dessas quatro fases. Cada página é preciosa e, acreditem, surpreendente. A autora não é melodramática, nem impiedosa, mas me deixou boquiaberta diversas vezes e olha... É impossível largar a leitura. O Teste é o primeiro livro de uma trilogia e, felizmente, o último livro já foi publicado no Brasil. Então, vou correr para devorar o segundo porque já estou me roendo de curiosidade aqui. Hehehehe

    A narração é em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Cia. O texto é fácil e fluido, sem floreios, mas com uma pitada de termos técnicos. Nada que assuste, é possível entender tudo. Os capítulos não são enormes, o que dá bastante dinamismo à leitura, não deixando-a cansativa.  Minha ÚNICA ressalva é sobre a revisão. O trabalho está péssimo! Pensei que só veria uns deslizes no começo do livro, mas os erros prevaleceram até o fim. Palavras unidas, escritas erradas, erros de continuação nos diálogos, na pontuação... Enfim. Sou muito crítica em relação a isso e fiquei decepcionada com o trabalho editorial nesse livro. Não desmerecendo a autora, lógico, pois ela nada tem a ver com a tradução/revisão para o português. Continuo amando a história.

    É isso, pessoal. Espero que tenham gostado da resenha e, por favor, leiam esse livro! <3

    Classificação:




    Beijão,